6 de fev de 2012

Januário e suas sanfonas de oito baixos (parte I) - por Leo Rugero

Muito se tem especulado a respeito das sanfonas de Januário, porém pouco se sabe sobre o destino destes instrumentos. No entanto, algumas destas sanfonas foram presenteadas por Januário a seus filhos, que, por sua vez, passaram-nas adiante. Ao menos três histórias de sanfonas de Januário foram registradas durante minha pesquisa de campo e permitem-nos constatar a legitimidade destes exemplares que foram adquiridos, adaptados e afinados  pelo velho Januário.

Hering Beija-Flor 1928.  Alfred Hering foi um migrante alemão radicado em Blumenau, onde não apenas fixou-se com sua família, como fundou uma importante fábrica de instrumentos musicais, a Hering. A influência desta empresa no mercado de sanfonas de oito baixos foi superada apenas pela Todeschini em termos de popularidade e qualidade de seus instrumentos.
De acordo com Zé Gonzaga, Januário teria adquirido esta sanfona em 1928 (ver foto). Atualmente, o instrumento está em posse de Joquinha Gonzaga, filho de Muniz, sobrinho de Gonzaga e Neto de Januário. O instrumento foi transportado, isto é, adaptado ao sistema nordestino por Januário e ainda está valendo o quanto pesa. Prova disso é a gravação de Joquinha da música "No Ronco dos oito baixos".

Honer, c.1920 (?). Atualmente este instrumento faz parte do espólio de José Nobre, diretor e curador do Museu Fonográfico Luiz Gonzaga, localizado em Campina Grande. No Museu, há um texto explicativo sobre a história deste instrumento, que abaixo transcrevo.

“Esta harmônica, conhecido fole pé-de-bode, pertenceu a Januário José dos Santos, lavrador, sanfoneiro, consertador de fole, pai de Luiz Gonzaga. O Rei do Baião presenteou este fole a Arlindo dos 8 baixos, um dos melhores afinadores de sanfona da região Nordeste, no Recife, a quem o cantador do sertão confiava seus instrumentos. Assim Luiz Gonzaga expressou-se a Arlindo dos 8 baixos: - Estou lhe dando esta harmônica, que antes de ser minha foi do meu pai Januário. Na minha adolescência eu tocava com ela, ajudando o velho”.  



Hering/Honer. Este instrumento foi presenteado por Januário à sua filha, Francisca. É uma sanfona de 8 baixos modelo acordeom da Hering.  Provavelmente, o letreiro da Hohner foi colocado em substituição ao letreiro original. Existe, inclusive, uma foto jornalística de meados da década de 1950, em que aparece Januário passando esta sanfona para Chiquinha. De cor avermelhada, essa oito baixos acompanhou Francisca no decorrer de sua carreira e aparece em capa de discos e performances da cantora em que ela se acompanhava com o instrumento. Falecida em 2011, provavelmente a sanfona ficou aos cuidados dos herdeiros de Chiquinha Gonzaga.



Portanto, podemos concluir que estes exemplares foram de fato afinados e customizados por Januário, tendo sido empunhados por seus herdeiros. Com certeza, Januário teve outros instrumentos, cuja história ainda está em vias de ser contada. Quem souber algo sobre sanfonas que tenham pertencido ao velho Januário, por favor, entre em contato conosco, para ajudar-nos a escrever detalhadamente as histórias das sanfonas de Januário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário