16 de fev de 2012

Correia dos Oito Baixos

Hoje, 16 de fevereiro, é aniversário do sanfoneiro sergipano Carlos Correia Matos, o Correia dos Oito Baixos. Nascido no município de Capela, em 1953, Correia aprendeu a tocar sanfona em um instrumento de 4 baixos e uma carreira de botões para a mão direita.Seu filho, Antônio Correia Matos, observa que a experiência neste instrumento, fez com que seu pai desenvolvesse "a mecânica de tocar em um terno só". 
Posteriormente, Correia viria adquirir uma sanfona de oito baixos. Como descreve Antônio, "ele comprou uma Todeschini há cerca de 36 anos, de uma família que adquirira um instrumento para a filha aprender, eis que naquela época era comum o aprendizado de instrumentos como piano e acordeon por parte do filhos, no caso das famílias com melhores condições financeiras. Ocorre que, ao invés de comprarem um acordeon piano, compraram um oito baixos. Ou seja, a sanfona nem chegou a ser usada, e meu pai teve a sorte de comprá-la ainda novinha." O instrumento adquirido por Correia era uma sanfona Todeschini avermelhada na afinação natural em sol/dó. Porém, aos poucos "percebeu que o chamado "botão neutro" o incomodava, pois atrapalhava sua execução. Resolveu colocar uma nota a mais: antes, sol/sol; agora, sol/lá, e a sequência ficou mais agradável". Nas palavras de Antônio, é "uma besteirinha que fez toda a diferença para ele". Curiosamente, portanto, a sanfona utilizada por Correia seria ajustada à afinação diatônica sem acidentes, utilizada em alguns países como Itália e França.No entanto, é uma afinação rara entre os sanfoneiros brasileiros e  Correia , provavelmente, é o primeiro que conheço a adotar esta modificação. 
Em 2006, por estímulo da família, voltou às atividades profissionais com a música.
Em 2007, é gravado o disco de estréia chamado "esse sim, faz forró"ao lado do filho Antônio ao contrabaixo e os percussionistas Cicinho, Ray e Mamá.
Neste meio tempo, Correia já gravou mais dois discos e como quase todo sanfoneiro que conheço, adquiriu outras sanfonas. Afinal, a variedade de timbres e tonalidades é um dos trunfos para aqueles que tocam um instrumento peculiar como o acordeom diatônico.Segundo Antônio, uma destas sanfonas possui " dois botões responsáveis por quatro acidentes agudos... ", ou seja, está na afinação diatônica com acidentes, tipicamente européia.
Enfim, Correia dos oito baixos é um exemplo de que é possível seguir a linha da tradição sem perder de vista a inovação e a singularidade. Em seu caso, sua idiossincrasia revela-se não apenas na técnica que desenvolveu, bem como na busca de outros tipos de afinação além daquelas que se consagraram entre os sanfoneiros do Nordeste.
Parabéns, Correia, pelos seus 59 anos de idade e pelos serviços prestados ao forró e à sanfona de oito baixos!
Leo Rugero

Nenhum comentário:

Postar um comentário