10 de fev de 2011

Geraldo Correia - Um baixinho e seus oito baixos (Parte II) - texto escrito por Leo Rugero

Com o êxito do álbum "Um baixinho e seus oito baixos", Geraldo seria convidado para gravar novamente pela Philips no ano seguinte, o que deu origem ao disco "A volta do Baixinho".
Posteriormente, Correia assinaria contrato com a gravadora Cantagalo, então dirigida por Pedro Sertanejo. Convém lembrar que Pedro Sertanejo foi um dos criadores dos "forrós" no eixo Rio - São Paulo. Ao lado do "Forró do Xavier" em Botafogo, Rio de Janeiro, o "Forró do Pedro", no bairro do Brás, se tornaria um dos centros importantes de encontro e diversão da comunidade nordestina que se deslocava para aquela cidade, para trabalhar sobretudo na construção civil  e no serviço doméstico. Neste contexto favorável, Geraldo Correia deslocou-se para São Paulo, a convite de Pedro Sertanejo, para trabalhar como sanfoneiro- sobretudo no "Forró do Pedro", e também, trabalhar na afinação e conserto de sanfonas. Sobre sua estada em São Paulo, Geraldo guarda boas lembranças: "eu morei quatro anos lá. E tocava no Forró de Pedro Sertanejo, em todos esses forrós ali. Era eu e Dominguinhos. Nesse tempo, ele era novinho, e eu consertei sanfona dele, consertei também muita sanfona do Oswaldinho do Acordeom."
Posteriormente, já na segunda metade da década de 1970, Geraldo Correia assina contrato com a Copacabana, na qual grava até o inicio da década de 1980, quando então, retorna à Campina Grande e passa a atuar de forma mais discreta no cenário do forró, em decorrência do declínio do forró instrumental no contexto dos bailes, e consequentemente, as limitações impostas aos solistas de oito baixos que se destacavam neste segmento.
Sobre as tendências atuais do mercado, e o predominio das bandas na vendagem de discos do gênero, Geraldo é muito critico e pensa que alguma coisa deve mudar. Como ele afirmou em entrevista que concedeu gentilmente em 2009, "eu não tenho mais aquela confiança que eu tinha naquele tempo, não. Porque, se o senhor gosta desse tipo de música, tem outros que não tão mais gostando. As bandas tomaram conta da musica da gente, tão transformando a musica que os forrozeiros tocavam tudo pra eles. Aí a gente não tem vez." De fato, como concorrer com a indústria do forró eletrônico? A rede Somzoom Sat, por exemplo, é detentora da programação de 7 emissoras de rádio, que reproduzem os seus próprios produtos.
 A música de Geraldo Correia habita atualmente um lugar incerto no mercado de música nordestina. Já não é mais a música que fazia parte dos bailes e apesar de sua qualidade artística, o forró instrumental  solado em sanfona de oito baixos não conquistou a  legitimidade dos solistas de choro, o que decerto, não garante o acesso destes músicos a novos espaços como teatros e salas de concerto. Embora oupando um lugar incerto, os instrumentistas de fole de oito baixos demonstram sua capacidade de resistência ( e resiliência), com um fôlego de sete gatos, mesmo enfrentando este momento de transição que reserva um futuro incerto para esta modalidade artística no contexto profissional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário