8 de fev de 2011

DVD O Milagre de Santa Luzia

Documentário de longa-metragem de Sérgio Roizenblit é lançado em DVD
Music News - 7/2/2011 - Por Luiza Goulart
DVD_O_milagre_de_Santa_Luzia
Vencedor de Melhor Trilha Sonora no Festival de Cinema de Brasília de 2008  apresenta a diversidade cultural brasileira por meio da musicalidade da sanfona
O Milagre de Santa Luzia é uma viagem pelo Brasil que toca sanfona conduzida por Dominguinhos, o mais importante sanfoneiro em atividade no país. Através de encontros regados a muita música e reunindo depoimentos - curiosos, divertidos, emocionantes e esclarecedores - dos principais sanfoneiros brasileiros, o filme dirigido pelo cineasta Sérgio Roizenblit faz um mapeamento cultural das diferentes regiões do país onde o instrumento se estabeleceu. Entre preciosos registros desses grandes artistas populares, estão os do poeta Patativa do Assaré e dos músicos Sivuca e Mário Zan, falecidos pouco tempo depois de suas entrevistas para o documentário.
Após ser exibido em diversos cinemas brasileiros por 17 semanas entre 2008 e 2009, O Milagre de Santa Luzia agora é lançado em DVD, com uma série de extras que se somam aos 105 minutos de duração do filme original. Nesses extras, diversas histórias sobre a sanfona contadas e tocadas pelos músicos, a arte e os mistérios dos afinadores do instrumento, o passo a passo da construção da sanfona em uma fábrica, uma homenagem ao sanfoneiro Geraldo Correia, entre outros conteúdos inéditos. O longa-metragem é dividido em índice pelas regiões do Brasil focalizadas – Nordeste 1 e 2, Centro Oeste, Rio Grande do Sul e São Paulo – que se subdivide pelos nomes dos artistas ou assuntos abordados.
O lançamento do DVD O Milagre de Santa Luzia acontece em 13 de fevereiro, domingo, a partir das 20h na casa de forró Canto da Ema (Av. Brigadeiro Faria Lima, 364, Pinheiros, SP, 11.3813.4708, www.cantodaema.com.br), quando acontecerá a festa em comemoração aos 70 anos do grande Dominguinhos (nascido em 12/2/1941, em Garanhuns, Pernambuco) com um show que terá as participações de diversos artista, como Elba Ramalho, Oswaldinho do Acordeon e Gabriel Levy. Entrada: R$ 30,00 (homens) e R$ 22,00 (mulheres).
O documentário marcou a estréia de Sérgio Roizenblit na direção de um longa-metragem. Roizenblit é diretor dos vídeos Violões do Brasil, Violeiros do Brasil e O Brasil da Sanfona, do Projeto Memória Brasileira, de Myriam Taubkin, lançados em DVD. No 41º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, em 2008, O Milagre de Santa Luzia foi vencedor do Candango de Melhor Trilha Sonora e do Prêmio Vagalume de Melhor Filme.
Entrevistados no DVD, por ordem de aparição: Dominguinhos / Patativa do Assaré (Antonio Gonçalves da Silva, 1909-2002) / Arlindo dos Oito Baixos / Hélder Vasconcelos / Joquinha Gonzaga / Camarão / Genaro / Pinto do Acordeon / Dino Rocha / Elias Filho / Renato Borghetti / Thelmo de Lima Freitas / Ricardo Arenhaldt / Edson Dutra / Luiz Carlos Borges / Luciano Maia / Júlio Rizzo / Gilberto Monteiro / Bagre Fagundes / Oscar dos Reis / Mario Zan (Mario Giovanni Zandomeneghi, 1920-2006) / Oswaldinho do Acordeon / Toninho Ferragutti / Gabriel Levy / Raimundo Campos / Sivuca (Severino Dias de Oliveira, 1930-2006).
O Milagre de Santa Luzia poderá ser adquirido a partir de fevereiro nas principais livrarias e lojas de cds/dvds do país e também pelo sitewww.miracaofilmes.com.br  O preço sugerido é R$ 29,90.


Sobre o filme
Há mais de trinta anos sem viajar de avião, Dominguinhos conduz sua caminhonete pelas diversas regiões onde a sanfona ganhou destaque e onde surgiram seus maiores intérpretes. O longa busca compreender o universo do instrumento em cada uma dessas localidades: o nordestino e sua saga de retirante, a partida e o desejo de um dia voltar; o pantaneiro e sua atitude contemplativa, conectada ao tempo da natureza; o gaúcho e sua ode às tradições, o orgulho pela terra natal; e o paulista que, dividido entre a cultura caipira e o emaranhado de informações da metrópole especialmente cosmopolita, cria um estilo único e diversificado.
A popular sanfona ganha diferentes nomes, conforme a região: acordeão, pé de bode, oito baixos, fole e gaita, entre outros. Musicalmente, o instrumento se caracteriza como um instrumento capaz de traduzir as mais variadas culturas, seus diferentes povos e tradições.
O título O Milagre de Santa Luzia é uma homenagem a Luiz Gonzaga, que nasceu no dia da santa, 13 de dezembro. A homenagem se justifica pelo trabalho do “Rei do Baião”, cujo sucesso abriu as portas para a existência de uma cultura regional dentro da indústria cultural no País. Também de homenagem ao pernambucano são os versos recitados pelo poeta Patativa do Assaré, em entrevista concedida a Roizenblit.
Em cada região, o filme registra os principais músicos do instrumento. Alguns desses artistas faleceram pouco tempo depois das filmagens: Sivuca, que fez sua última gravação com Dominguinhos cerca de um mês antes de seu falecimento, e Mario Zan, o único sanfoneiro que vendeu tanto quanto Luiz Gonzaga e é considerado até os dias de hoje o recordista de vendas da gravadora RCA Victor.
A viagem tem início em Exu, Pernambuco, com Dominguinhos interpretando Lamento sertanejo, de sua autoria, em parceria com Gilberto Gil. A cada encontro, uma conversa e uma música em conjunto – Arlindo dos 8 Baixos, Camarão, Pinto do Acordeon e até um grupo de vaqueiros, que dedica ao músico alguns versos improvisados.
Percorre depois a riqueza natural do Centro-Oeste e a música de Dino Rocha e Elias Filho. Continua pelo Sul, com as gaitas de Thelmo de Lima Freitas, Edson Dutra, Renato Borghetti, Gilberto Monteiro e Bagre Fagundes interpretando Canto alegretense (co-autoria com seu irmão, Antônio Augusto Fagundes), música mais popular que o próprio hino do estado.
Em São Paulo, Dominguinhos se encontra com músicos jovens, como Gabriel Levy e Toninho Ferragutti, que imprimem à sanfona um caráter mais jazzístico. É também em São Paulo que acontece o encontro com o saudoso Mario Zan e com Oswaldinho do Acordeon. Juntos, os três interpretam Quarto centenário, de Mario Zan, o sanfoneiro que melhor traduz a cultura caipira paulista. Composições suas, como Chalana e Um homem não deve chorar, ultrapassaram as fronteiras brasileiras e foram gravadas em diversas línguas. É reconhecido como o maior solista de festas juninas de todos os tempos, autor de inúmeras quadrilhas, como Festa na roça e Pula a fogueira.

De volta ao Nordeste, Dominguinhos encontra Raimundo Campos, produtor musical de Recife, com quem gravou sua inédita e comovente interpretação de Triste partida (de Patativa do Assaré). Em João Pessoa, na Paraíba, se dá a conversa com Sivuca, que declara, emocionado, “[a sanfona] representa 67 anos de convivência, de paz e harmonia com a música”.
Realização
A idéia da realização do documentário surgiu há cerca de dez anos, quando o diretor participou do Projeto Memória Brasileira, de Myriam Taubkin. Sérgio Roizenblit dirigiu os vídeos-cenários de O Brasil da sanfona, série de shows realizados pelo SESC/SP, em 2001, e posteriormente (2003) lançada em DVD, com a inclusão de depoimentos de sanfoneiros e poetas brasileiros.
A maioria dos depoimentos do filme foi captada ao longo do ano de 2006, mas conta com entrevistas gravadas em 2001, como a de Patativa do Assaré. A equipe percorreu o Brasil, passando pelos Estados de Pernambuco (cidades de Exu, Serrita e Recife); Paraíba (João Pessoa), Mato Grosso do Sul (Barra Mansa), Rio Grande do Sul (Porto Alegre, Bagé e Santana do Livramento), Minas Gerais (Serra dos Aimorés e Turmalina) e São Paulo (São Paulo).
O milagre de Sta Luzia foi viabilizado pelo Artigo 1º da Lei do Audiovisual e patrocinado pelo BNDES e pelo Banco BMG.
A sanfona
Inventado em 1829, em Viena, e reunindo possibilidades harmônicas, melódicas e rítmicas em um só instrumento, o acordeão rapidamente se difundiu pela Europa e, com a expansão da imigração européia, correu mundo, chegando também ao Brasil na segunda metade do século XIX. Em pouco tempo ganhou inúmeros adeptos e, nos anos 1940 e 1950, tornou-se extremamente popular. Adquiriu formatos e tamanhos distintos, integrou-se à nossa música e ampliou suas potencialidades nas mãos de artistas de todo o país. É chamado de gaita, fole, pé de bode e tantas outras denominações e apelidos; mas é como sanfona que conquistou definitivamente o seu lugar no coração do povo brasileiro.
(fonte: Projeto Memória Brasileira, de Myriam Taubkin)
O diretor – Sérgio Roizenblit
O paulistano Sérgio Roizenblit é sócio-diretor da produtora Miração Filmes desde 1996. Formado em Comunicação Visual pela FAAP, em 1987, iniciou, no mesmo ano, as atividades na área de vídeo na TV Educativa do Piauí. Desde então, vem desenvolvendo um método de trabalho em que dirige, fotografa e edita a maior parte de seus trabalhos.
Entre suas realizações, estão as obras Pranto por Ignacio Sanchez Mejias, 1998, finalista do Grande Prêmio Cinema Brasil do Ministério da Cultura; Após a meia-noite todo mundo é Cinderela, 2002, para a Bienal 50 anos; e Renée Gumiel, a vida na pele (2005), documentário sobre a bailarina co-dirigido por Inês Bogea, vencedor do DocTV 2005, da TV Cultura.
Dirigiu videoclipes de Itamar Assumpção, Celso Viáfora, Duo Fel, Virginia Rosa, Doctors MC's e Susana Sales; documentários e programas para a televisão, como a série de dezesseis programas Terra paulista: histórias, artes, costumes (2004, 2005 e 2007), que aborda aspectos da cultura caipira e litorânea do Estado de São Paulo, exibida pela TV Cultura.
Para o Projeto Memória Brasileira, de Myriam Taubkin, criou os documentários Violões do Brasil (lançado em DVD, em 2004), Violeiros do Brasil (lançado em DVD, em 2008) e O Brasil da sanfona, projeto original de cenários da série de shows realizados pelo SESC/SP, em 2001, transformado em DVD, em 2003, com a inclusão de depoimentos de sanfoneiros e poetas brasileiros.
Ficha técnica - Título: O Milagre de Santa Luzia, Brasil, filme realizado em 2008, 104 minutos (duração original) Áudio 2.0 e 5.1 / Legendas espanhol e inglês /
Extras: A Sanfona – Afinadores – Amazam, fábrica de sanfona – Geraldo Correia, uma homenagem
Direção e roteiro: Sérgio Roizenblit / Direção de fotografia: Sérgio Roizenblit e Rinaldo Martinucci
Produção executiva, direção de produção e coordenação de finalização: Marilia Alvarez  / Desenho de som: Pedro Noizyman / Captação de som direto: João Godoy, René Brasil, Thiago Bittencourt / Produtor associado: Fernando Fraiha / Consultoria e pesquisa: Myriam Taubkin / Consultoria em montagem: Idê Lacreta / Produtor de finalização: Gustavo Ribeiro / Masterização: José Luiz Sasso / Voz off: João Miguel e Rochelle Hudson / Assistentes de produção: Mariana Trevas, Rosemere Gonçalves Mendonça, Bruno Pontes, Thiago Barreto, Claudia Alcântara / Fotografia adicional: Humberto Bassanelli Jr / Primeiro assistente de câmera: Humberto Bassanelli Junior / Segundo assistente de câmera: Fabiano Pierri / Imagens adicionais: Tatiana Lohmann, Marilia Alvarez, Gabriel Cunha
Serviço – lançamento do dvd O Milagre de Santa Luzia
Local: Canto da Ema (Avenida Brigadeiro Faria Lima, 364 - Pinheiros)
Datas e horários: 13 de fevereiro a partir das 20h
Lotação: 500 lugares
Preços: Para mulheres - R$ 22,00 / Para homens - R$ 30,00 
Internet: 
http://www.cantodaema.com.br/

Ingresso: Na bilheteria do local somente na hora. 
Somente cartão de débito Visa e Master.
Recomendado para maiores de 18 anos
Acesso para deficientes físicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário