26 de mai de 2013

Com Respeito aos oito baixos

Prezados amigos:

Finalmente está saindo do forno o filme "Com Respeito aos Oito Baixos".
Este trabalho foi contemplado com o Prêmio Funarte Centenário de Luiz Gonzaga 2012.
Filmado nos estados de Pernambuco, Paraíba e Rio de Janeiro, o filme traz à luz algumas questões importantes sobre a trajetória do fole de oito baixos na Região Nordeste.
Em breve, as cópias estarão prontas para distribuição e venda.
Aos amigos que queiram mais informações sobre este trabalho, podem contactar-me pelo e-mail: leorugero@gmail.com

Abaixo, a ficha técnica e a sinopse do filme!



COM RESPEITO AOS 8 BAIXOS

Um filme de Léo Rugero
Direção geral: Léo Rugero
Direção de fotografia: Débora 70 e Marcílio Costa
Montagem: Débora 70, Júlia Sarraf e Léo Rugero
Câmera: Débora 70 e Marcilio Costa
Assistente de câmera e iluminação: André Fontes
Motorista: Silvério Candido
Produção executiva: Mila Schiavo
Finalização: Marcílio Costa


Com:  Joquinha Gonzaga, Mestre Pedro,  Vicente Telles, Anselmo Alves, Enock Lima, Lêda Dias, Nego do Mestre, Zé Calixto, Geraldo Correia, Luizinho Calixto, Antonio da Mutuca, Pedro Manú, Vinicius Antonio de Souza, João Cordeiro, Expedito Ferrugem, Aline Justino, Valdir Santos, Ivison Santos Silva, Orquestra Sanfônica de Oito Baixos de Santa Cruz do Capibaribe, Cirinéia Amaral, Thiago Calisto, João Calixto, Bastinho Calixto e José Alberto Salgado.

SINOPSE: Inspirado em dissertação de mestrado homônima, o filme “Com Respeito aos 8 baixos” refaz o percurso do músico e pesquisador Leonardo Rugero Peres (Léo Rugero) em sua pesquisa etnográfica. Filmado em setembro de 2012 nos estados de Pernambuco, Paraíba e Rio de Janeiro, a narrativa  se estrutura sobre breves capítulos que enfocam a influência da sanfona de oito baixos como instrumento solista no contexto dos bailes nordestinos, o aprendizado tradicional do instrumento, a mudança do aprendizado entre os jovens instrumentistas, a circulação dos repertórios tradicionais e o deslocamento de sanfoneiros para o Sudeste em função do êxito de Luiz Gonzaga no contexto fonográfico e radiofônico .

Duração: 40:55 (media metragem)



5 comentários:

  1. estou ansiosa para ver esse documentário. Pela sensibilidade do Leo, e sua seriedade, imagino o resultado!!!!
    parabéns, Leo!
    Lêda Dias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também estou ansioso para ver este filme. Assim como o filme sobre Luiz gonzaga tenho certeza que vai ser sucesso. Não existe nenhum documentário sobre a Sanfona de 8 Baixos, mas graças ao pioneirismo do Leo Rugero e com a ajuda de amigos agora teremos um Filme e um livro sobre esse instrumento de grande importância para o Forró raiz.

      Excluir
  2. Senti a falta dos sergipanos Robertinho dos oito baixos, Correia dos oito baixos, e do saudoso Coelho dos oito baixos, que são os seguidores fiéis de Gerson Filho. Robertinho (filho de Clemilda e Gerson Filho) e Correia estão em plena atividade aqui no estado de Sergipe, e mereciam ser lembrados pelo maravilhoso trabalho que fazem. Fica o desabafo.

    Prof. Sônia Mathias (Dep. de Cultura e Arte)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com a professora. são todos bons músicos, e deveriam ser lembrados.

      Vieira do Acordeon

      Excluir
  3. Prezada Sonia Matias,

    o filme "Com Respeito aos Oito Baixos" é o primeiro documentário específico sobre a tradição nordestina da sanfona de oito baixos. Foi realizado com orçamento extremamente reduzido e teve como argumento principal, refazer o trajeto de pesquisa de campo de Léo Rugero, que rendeu a dissertação de mestrado pioneira sobre o tema. Deste modo, o trajeto do filme se restringiu aos estados de Pernambuco, Paraíba e Rio de Janeiro e a desenvolver seus quadros de acordo com as questões que haviam sido desenvolvidas em minha pesquisa. De modo algum, pretendemos esgotar o tema neste filme, e sim, contribuir e abrir caminho para que novos projetos possam surgir, vindo, complementarmente, a expandir a ainda abreviada produção acerca deste tema. Aliás, os estados de Sergipe e Alagoas possuem características que os diferenciam em relação aos outros estados do Nordeste em relação ao estilo - provável herança de Gerson Filho, artista de indubitável contribuição para a música nordestina que ainda carece de estudos e trabalhos a seu respeito.Que venham incentivos de produção institucional para que pesquisa e documentação sobre os citados sanfoneiros venha a se tornar possível. Infelizmente, a pesquisa musicológica no Brasil ainda é tratada como um capricho e não como uma necessidade cultural.

    cordialmente,

    Léo Rugero

    ResponderExcluir