9 de jan de 2015

Léo Rugero Rio Araripe





Publicado em 9 de jan de 2015
O
Rio Araripe é um rio imaginário, que não está no mapa do sertão, mas
vive dentro da gente, brota como olha d'água, nascente, mesmo diante da
seca, de onde germina uma semente. Nasce na Fazenda Araripe, lá de de
onde vem o baião, "debaixo do barro do chão", nas mãos do velho
Januário, do tempo que tocava seu "fole de oito baixo" lá na beira do
riacho até alcançar a cidade "que te acha ruim", mas eu, assim como
Januário, também não acho....

Esta música é minha singela e
sincera homenagem à sabedoria dos antigos mestres do fole nordestino,
aos quais nutro grande estima e que nos trazem infinda inspiração. Que o
fole esteja sempre vivo e se remodelando no tempo, tal como um rio
frondoso que vai se amalgamando à paisagem circundante, em seu trajeto
que flui por entre as veredas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário